No Rio, o Estaleiro Mauá recebe mais uma plataforma para obra em reparo e modernização

Cristiano Silva Cristiano Rosa 8 de outubro de 2019 0 Comments

O Estaleiro Mauá no Rio, anunciou nesta quinta-feira, 19 de setembro, a chegada de uma plataforma para obra em reparo e modernização.
O Estaleiro Mauá localizado em Niterói, Rio de Janeiro, encerrou esta semana com o pé direito e anunciou em seu veículo oficial de informação a grande notícia que recebeu em suas instalações, mais uma plataforma para obra em reparo e modernização. Outra boa notícia, a Andrade Gutierrez conquista 20 novas obras e volta a empregar.

Além de estar continuamente realizando reparos em seu dique seco e em seus quase 700 metros de cais, com suporte das operações portuárias e logística de curto, médio e longo prazo.

Fiquem atentos pois são indícios de que a indústria naval aos poucos está se recuperando no Rio de Janeiro, e que podem ser anunciadas a qualquer momentos novas contratações, para atender a obra anunciada.
Além disso, o Rio de Janeiro prevê aportes de R$50 bi em 5 anos com encerramento de 21 plataformas de petróleo. O descomissionamento das estruturas será realizado pela Petrobras.

A previsão é que a atividade gere 50 mil postos de trabalho, algo importante para o Estado, o maior produtor brasileiro de petróleo que enfrenta sérios problemas econômicos.



NO RIO, MAUÁ O MAIS EXPERIENTE ESTALEIRO DO BRASIL

O Mauá é o mais experiente e tradicional estaleiro em operação no Brasil com atividades desde 1845. Localizado em Niterói, Rio de Janeiro, com uma área de 180.000 m2, tem capacidade de processamento de 36.000 ton de aço por ano e é o maior estaleiro na Baía de Guanabara.
Sua localização antes da Ponte Rio-Niterói, facilita a atracação de embarcações e plataformas com restrições de altura e manobra.

O Estaleiro oferece ao mercado sua nova matriz de negócios “Plataforma Portuária Industrial” em construção naval, construção e integração de módulos offshore, docagem, reparo naval & offshore além de serviços ambientais e de terminal portuário.

Isso faz com que hoje, o Mauá seja considerado um dos maiores centros de construção, integração e reparo para a indústria de óleo e gás.

Fonte: clickpetroleoegas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X