Oportunidades de petróleo e gás estão sendo exploradas novamente no Brasil

Jair Brasil Jair Brasil 5 de junho de 2019 0 Comments

Oportunidades de petróleo e gás estão sendo exploradas novamente no Brasil

April 30, 2019 – Rogier KindTags:BRASIL

O holandês Joris Steinberg, Director da Atlas Brasil, sempre teve uma paixão pela América Latina e pelas línguas portuguesa e espanhola e agora vive no Brasil há mais de uma década.

A Joris inicialmente começou a trabalhar em uma empresa de consultoria e ficou lá por quatro anos antes de ser contratado pela Atlas – que possui escritório no Brasil há quase 13 anos. Ele conta que: “o Brasil é realmente uma terra de oportunidades, quando se considera que este vasto país é do tamanho do continente europeu ou talvez ainda maior. É livre de desastres naturais, tem terreno extremamente fértil, cheio de recursos naturais, 8.000 km de costa, rico em campos de pesca e com um bom relacionamento com todos os seus 10 vizinhos! O Brasil não tem alguns dos maiores problemas enfrentados por outros países. ” Mas ele diz que também há desafios para operar um negócio no Brasil. A burocracia é lendária e, infelizmente, a corrupção também é um problema. Joris enfatiza que essas questões estão sendo tratadas e nos últimos anos tem havido alguns resultados muito positivos. “Talvez porque o Brasil é um país democrático relativamente novo, de apenas 33 anos, que exista tamanha burocracia. Há regulamentos do estado, federais e municipais e, por vezes, são conflitantes. Por isso que é tão importante estar bem estabelecido no país. Você tem que construir o conhecimento sobre os vários procedimentos e os detalhes da lei trabalhista ”. E embora o Brasil tenha o problema  da corrupção, isso está sendo abordado de “maneiras sem precedentes”, enfatiza Joris. “Seja rico ou pobre, do governo ou de grandes empresas, ninguém tem impunidade ”.

Com sua presença de longo prazo na região, a Atlas viu os altos e baixos. Quatro anos atrás, o país estava crescendo, era extremamente difícil reter as pessoas. Mas então a crise do petróleo chegou e o petróleo foi responsável por 12% do PIB. O que infelizmente levou à maior crise na história moderna, com alto índice de desemprego, embarcações e plataformas semiacabadas sendo descartadas e projetos paralisados. A moeda brasileira também desvalorizou dramaticamente, o que acrescentou outro elemento para uma situação já difícil. ”

Clima de negócios positivo

Mas Joris aponta que há um clima de negócios muito mais positivo agora comparado a alguns anos atrás. O atual governo tomou decisões que estão tendo um impacto positivo no negócio de petróleo e gás, ele explica. Por exemplo, anteriormente não havia uma agenda regular para leilões de campos de petróleo, mas agora um calendário definitivo foi introduzido, dando aos desenvolvedores mais certeza, com antecedência. Além disso, a gigante Petrobras era legalmente responsável pela participação financeira de 30% em qualquer campo de petróleo e gás que fosse revendido e tinha que ser a única operadora. Esta a obrigação foi abolida, o que abre oportunidades para outras empresas de energia a assumir a liderança, sem que a Petrobras seja necessariamente uma stakeholder, diz Joris.

As regras de conteúdo local extremamente rigorosas do Brasil também foram flexibilizadas. “Estas restrições às vezes significavam que os projetos simplesmente não eram viáveis. Por exemplo, há alguns anos, um determinado FPSO tinha que ser desenvolvido com 80% de conteúdo local, mas isso levou a diária que era insustentável. Esta restrição foi dispensada e foi realizada uma nova licitação, com menos exigência quanto ao conteúdo local, o que resultou em uma diária muito menor.” Além disso, as autoridades mostraram uma vontade de combater a corrupção que levou à uma nova ênfase à conformidade na indústria. “Como a corrupção não está sendo tolerado em nenhuma instância, as empresas estão colocando muito mais ênfase em conformidade. A Atlas sempre fez as coisas da maneira certa e nós temos

um Código de Conduta rigoroso. Isso tem contribuído fortemente para ganharmos mais projetos no lugar de concorrentes não conformes.

Conformidade vital

“Eu acho que todas essas iniciativas aumentaram a concorrência e melhoraram mecanismo de mercado, o que sugere um futuro promissor.” No entanto, Joris admite que as eleições de outubro (2018) acrescentaram uma nota de incerteza. “É difícil dizer o caminho que isso vai seguir.

Atlas tem uma longa lista de perspectos em comparação com 2016-17 e Joris está esperançoso que alguns se transformarão em novos negócios. A procura por unidades de acomodação e atividades de perfuração certamente tiveram uma melhora, acrescenta. Clientes de fora do Brasil estão no mercado licitando, e serviços de manutenção que poderiam ter sido postergados estão sendo realizados, levando a mais demanda por Flotéis. Empresas sísmicas também estão chegando já que o potencial  de perfuração está sendo explorado, acrescenta. A Atlas está em boa posição, dado seu sólido histórico no Brasil. Para o Nos últimos cinco anos, a Atlas ajudou a OOS Internacional com a operação de dois Flotéis Semi-Submersíveis de 500 leitos, fornecendo a tripulação maritima. A tripulação compreende em aproximadamente 35 profissionais com posições como Capitão, Chief Mate, Oficial de Posicionamento Dinâmico, Engenheiro, Operador de Guindaste, Oficial de Aterrissagem de Heliponto, Marinheiro, Motorman, Radioperador, Médico, dentre outros.

Parceria OOS

Devido aos requisitos de conteúdo local e a necessidade de profissionals bilingues a bordo (Inglês/Português), a Atlas Brasil recruta, seleciona e contrata brasileiros diretamente na folha de pagamento local da OOS e, subseqüentemente, gere a rotina mensal. As outras posições são preenchidas pelos expatriados, e ao longo dos últimos quatro anos, 25 nacionalidades diferentes trabalharam a bordo, que foram recrutados pelos demais escritórios da Atlas no exterior. Atlas Brasil faz todos os arranjos necessários para os expatriados e a tripulação local, que inclui transporte terrestre, reservas de hotel, treinamento (reciclagem), registro de vistos e arranjos médicos para garantir que todos estejam em conformidade com a legislação / requisitos locais e internacionais. Este é um projeto muito complexo, mas Joris está orgulhoso de que a Atlas conseguiu obter uma solução bem-sucedida e mais econômica para OOS. “Nós temos um bom relacionamento com OOS baseado na confiança, o que nos permitiu entregar um serviço de qualidade adequado às suas necessidades. Isso só é possível através do estreita colaboração entre os vários escritórios da Atlas em todo o mundo e nossa parceria com a OOS international. ”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X