A Petrobras pretende afretar uma sonda de intervenção autoelevatória (PA) para operação em lâmina d´água de 12 a 50 m. Destinada a campos do Nordeste, a contratação será feita através de licitação internacional, que tem entrega de propostas marcada para 3 de agosto.

Jair Brasil Jair Brasil 7 de julho de 2021 0 Comments

A Petrobras pretende afretar uma sonda de intervenção autoelevatória (PA) para operação em lâmina d´água de 12 a 50 m. Destinada a campos do Nordeste, a contratação será feita através de licitação internacional, que tem entrega de propostas marcada para 3 de agosto.

A jack-up será alocada em campos nos estados de Alagoas, Sergipe, Ceará e Rio Grande do Norte, tendo que estar disponível para operação a partir de janeiro de 2023. A unidade requerida pela Petrobras terá que ter pernas independentes e cantilever.

Embora o edital não detalhe a campanha de trabalho, tudo indica que a unidade será alocada em campanhas de abandono e intervenção dos campos inseridos no programa de desinvestimento.

A atividade não deve envolver perfuração de poços.
A PA ficará sob contrato por 1.400 dias.

O lançamento do edital chama atenção do mercado e promete agitar o segmento de águas rasas. Há anos, a Petrobras não contrata jack-ups para o Brasil, mantendo em carteira apenas unidades de águas profundas.

A iniciativa de contratação da plataforma autoelevatória ocorre cerca de três anos após a petroleira formalizar a venda de duas jack-ups próprias, a P-59 e P-60 para a Rowan.

As duas unidades foram construídas pelo consórcio Odebrecht/UTC/Queiroz Galvão nas gestões Sérgio Gabrielli e Graça Foster, mas nunca chegaram a ser colocadas em operação.

Na ocasião, a venda das duas unidades foi fechada por US$ 77 milhões, ante os mais de US$ 700 milhões desembolsados pela petroleira com a construção das sondas. Os equipamentos foram construídos em 2012, no estaleiro São Roque do Paraguaçu.

Como não há jack-ups no Brasil no momento, a aposta do mercado é de que os valores das taxas diárias venham altos, por conta da taxa mobilização. As unidades mais próximas estão no México, sendo que a maior parte está na Ásia.

Entre as empresas de perfuração que mantêm jack-ups em carteira estão a Valaris, Borr Drilling (Magni Partners) e Maersk. Não está descartada a possibilidade de empresas nacionais e estrangeiras sem jack-up firmarem acordo com companhias que tenham esse tipo de unidade para participar da licitação.

A licitação foi lançado pela Petrobras em meados de junho.

O edital prevê prazo de mobilização de até 180 dias.

A entrega de propostas estava marcada originalmente para o dia 8 de julho, mas foi postergada a pedidos de algumas empresas interessadas. É dado como certo que a Petrobras prorrogue pelo menos mais uma vez a data de recebimento das ofertas.

Vamos com tudo !!

a small boat in a large body of water

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X