A NBR 16278 de 03/2019 – Inspeção de fabricação

Jair Brasil Jair Brasil 18 de abril de 2019 0 Comments

A Qualificação e certificação de pessoas para o setor de petróleo e gás estabelece os critérios e a sistemática para qualificação e certificação de pessoal responsável pela inspeção de serviços e fabricação dos materiais a serem utilizados na indústria de petróleo e gás. se aplica às atividades exercidas pelo inspetor de fabricação nas modalidades de: acessórios de tubulação; caldeiraria e tubulação; eletricidade; instrumentação e automação; mecânica; perfuração e produção de petróleo; tubos flexíveis e umbilicais. Este documento se aplica aos processos de inspeção em todo fornecimento de materiais para a indústria de petróleo e gás.

Acesse alguns questionamentos relacionados a essa norma GRATUITAMENTE no Target Genius Respostas Diretas:

Quais são os exames de qualificação para os candidatos?

Como deve ser o processo de renovação da certificação?

O que deve ser feito na inspeção dos métodos e processos de fabricação e montagem?

Quais são as atividades básicas exercidas pelo inspetor de fabricação?

Pode-se definir a inspeção de fabricação como a atividade desenvolvida pela indústria de petróleo e gás, por meio de seus órgãos de inspeção ou por empresas contratadas, com o objetivo de verificar, nas instalações do fornecedor ou do contratante do serviço, a conformidade de serviços e produtos fabricados com os documentos contratuais. O inspetor de fabricação é o profissional certificado, em uma ou mais modalidades definidas nesta norma, pelo organismo de certificação e autorizado a executar inspeções de fabricação de materiais e de serviços associados.

Os profissionais, para atuarem como inspetores de fabricação, são classificados em dois níveis crescentes de certificação, designados pelos algarismos arábicos 1 e 2, exceto para as modalidades de eletricidade e instrumentação e automação que possuem nível único de certificação. As atividades básicas da inspeção de fabricação estão descritas no Anexo A.

As atribuições e responsabilidades básicas inerentes ao inspetor de fabricação para cada nível e modalidade estão descritas na tabela abaixo. As atividades descritas para o nível 1, de cada modalidade, podem ser executadas pelo nível 2, porém não é permitido que o inspetor nível 1 execute atividades exclusivas do nível 2.

O candidato a inspetor de fabricação deve estar devidamente regularizado junto ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) ou Conselho Regional de Química (CRQ). O candidato que não possuir diploma de curso técnico ou superior pode obter a equivalência de estudos junto à Secretaria de Educação de seu estado e o registro no respectivo conselho de classe.

Para fins de qualificação em inspeção de fabricação, são aceitas as áreas tecnológicas descritas a seguir. A aceitação de outra área tecnológica não mencionada fica a critério do organismo de certificação: materiais; mecânica; mecatrônica; metalurgia; naval; soldagem; produção; elétrica (eletrotécnica, sistemas de potência, eletrônica, instrumentação e automação industrial); química; telecomunicações; petróleo e gás; civil.

Os inspetores já qualificados e em situação regularizada pela sistemática anterior, que constam no cadastro de pessoal qualificado de inspetor de fabricação e não atendem ao requisito de escolaridade, permanecem no cadastro e devem comprovar a continuidade de suas atividades. Os inspetores devem apresentar sua regularização em entidade representativa de classe na ocasião da sua requalificação.

É recomendado que o candidato possua experiência em pelo menos uma das seguintes atividades, ficando sob responsabilidade do Organismo de Certificação de Pessoas (OPC) a análise dos currículos e exigência de experiência prévia em manutenção; fabricação; construção, montagem e instalação; garantia/controle da qualidade; projeto; pesquisa e desenvolvimento; inspeção.

O candidato a inspetor de fabricação deve comprovar por meio de certificado ter obtido aproveitamento satisfatório em curso de treinamentos com carga horária mínima e conteúdo programático conforme descrito nos Anexo B, Anexo C e Anexo D, para a modalidade e nível pretendido. A carga horária mínima recomendada para cada item do treinamento do nível 2 deve ser complementada pela prevista para o nível 1.

Programa de treinamento – Carga horária mínima

O candidato a inspetor de fabricação deve ter acuidade visual, natural ou corrigida, de acordo com a tabela abaixo. O candidato a inspetor de fabricação deve ter visão cromática de acordo com a tabela abaixo. A acuidade visual do inspetor de fabricação quanto aos aspectos de visão próxima e visão longínqua deve ser avaliada anualmente.



Antes do término de cada segundo período de validade da certificação, o profissional deve ser recertificado, para igual período desde que atenda os critérios de renovação e seja aprovado no exame de recertificação aplicável à modalidade e nível requerido. O processo de recertificação consiste somente em um exame prático simplificado, contendo estudos de caso na respectiva modalidade, no qual são aplicados quatro estudos de caso de diferentes grupos de conhecimentos. O candidato deve obter rendimento mínimo de 70%.
 
O candidato que não obtiver a nota requerida no exame de recertificação pode solicitar reexame duas vezes, desde que a solicitação do reexame ocorra em até 18 meses após o exame original. A reprovação no exame de recertificação implica no cancelamento da certificação, independentemente do seu nível de qualificação. O inspetor de fabricação nível 2 pode pleitear a sua recertificação para o nível 1 na mesma modalidade. Neste caso, a sua certificação como nível 2 será cancelada.
 
O inspetor de fabricação está sujeito à verificação de desempenho e habilidades. A verificação do desempenho deve ser realizada dentro do escopo de certificação definido nesta norma e referências normativas. Como resultado da verificação, o desempenho do inspetor de fabricação certificado pode ser satisfatório ou insatisfatório, conforme critérios do organismo de certificação.
 
O módulo geral do programa de treinamento é composto dos seguintes assuntos: documentação técnica; matéria-prima; metrologia; processos de fabricação de equipamentos; armazenamento e transporte; inspeção por amostragem; pintura industrial; soldagem; ensaios não destrutivos. Cada assunto é composto das matérias e tópicos especificados abaixo.
 
Quanto à documentação técnica, para a qualificação e certificação de inspetor de fabricação para o setor petróleo e gás há a finalidade da inspeção de fabricação; atividades e responsabilidades do inspetor; tipos de inspeção; atividades mínimas por tipo de inspeção; PIT; ponto de observação, ponto de espera obrigatório, ponto de auditoria/monitoração e verificação de documentos; documentação de compra e seus anexos; registros de inspeção, CLM, CRM, RI, relatório de dados técnicos do material e documentação correlata – data book, RI – RNC e planilha do índice de rejeição; noções básicas em segurança, saúde e meio ambiente; aspectos éticos, comportamentais e relações humanas; e manutenção da qualificação e verificação de desempenho e habilidades.
 
Em sistema da qualidade e NBR ISO 9001, conhecimentos em princípios da qualidade; conceitos básicos; controle de documentos; controle de registros; auditorias da qualidade; controle de produto/serviço não conforme; ações corretivas e ações preventivas; identificação e rastreabilidade; controle de equipamento de monitoramento e medição.
 
FONTE: Equipe Target

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X